segunda-feira ,25 junho 2018
Página Inicial / Esporte / Procurador pede suspensão das próximas duas rodadas do Baiano

Procurador pede suspensão das próximas duas rodadas do Baiano

Procurador-geral do TJD, Ruy João pede suspensão do campeonato até segundo julgamento

2018-02-20-18-17_capabavi100

As próximas duas rodadas do Campeonato Baiano pode ser suspensas. O Procurador-geral do Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia, Ruy João, entrou com uma Medida Inominada junto à secretária do TJD-BA solicitando a pausa imediata do Estadual até o julgamento do recurso que será pedido pela Procuradoria.

O Procurador se mostrou insatisfeito com o resultado do julgamento ocorrido nesta última terça-feira (27), que absolveu todos os envolvidos no caso de encerramento do Ba-Vi, além de punição apenas em dinheiro para o Vitória. Ruy João também explicou que solicitou a pausa no Baiano até o próximo julgamento – que ainda será marcado.

“O julgamento de ontem (terça-feira) não atendeu às expectativas da Procuradoria. Com isso, hoje saiu o resultado desse julgamento que permite ao Esporte Clube Bahia, Esporte Clube Vitória, como a Procuradoria interpor recurso. Esta decisão de ontem é passível de recurso. E o Campeonato Baiano não pode prosseguir numa fase classificatória sem definição sobre destino dos clubes. O Vitória corre o sério risco de ser desclassificado. Há um risco iminente e uma dúvida sobre o destino da classificação do Campeonato Baiano em decorrência do julgamento que vai recorrer”, explicou Ruy João, ao GloboEsporte.com.

Confira a Medida Inominada feita pelo Procurador-Geral

“Afinal, o Vitória se personifica em seus atletas, técnico, dirigentes. Algo ou alguém precisa ter dado causa à suspensão do jogo. Quem deu causa ao fim do jogo não tem que ser punido? Ou ninguém foi responsável e quem deu causa foi o além?”, disse, ao jornal Correio.

“Vou entrar com recurso contra tudo. O próprio caso do Lucas Fonseca, tem vídeo e provas de que ele não fez nada. Além disso, não houve nenhuma contraprova, nada que acuse que ele, de fato, fez algo. Todo esse julgamento foi um absurdo. Foi estarrecedor, merece atenção”, acrescentou.

“Você vê como é estarrecedor o comportamento da comissão. O Bahia fez o requerimento de intervenção de terceira parte interessada na segunda-feira (26), e o Vitória ajuizou um mandado de garantia pedindo anulação do resultado do jogo, os 3×0, porque eles entendem que isso viola o regulamento, o estatuto, e queriam manter o empate. O presidente do tribunal, Hélio Menezes, decidiu, antes do julgamento, que o Bahia fizesse parte do processo de mandado de garantia. Aí veio a comissão disciplinar e anulou o pedido. O presidente diz que o Bahia deve participar e a comissão não? Isso, logo no começo, mostra a tendência do julgamento e coloca em xeque a justiça desportiva baiana. Precisamos de julgamentos mais coerentes e condizentes com as normais do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva)”, concluiu.

Para o Procurador-geral do TJD, a continuidade do Baiano pode causar danos irreparáveis à competição.

Você pode Gostar de:

Em duelo de piores defesas, Vitória leva a melhor sobre a Chape e deixa o Z-4

  No duelo dos dois clubes com as defesas mais vazadas do Campeonato Brasileiro, melhor …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[wp_bannerize group="Banner Rodapé" random="1" limit="1"]